Arquivos da categoria: PROBLEMAS

CARTA ENVIADA À CET SOBRE FISCALIZAÇÃO DAS VAGAS DE IDOSO

Protocolamos no início do ano uma carta para maior fiscalização do uso irregular das vagas de idoso, a pedido do associado Ricardo Pires de Campos.

À Companhia de Engenharia de Tráfego
Exmo. Senhor Jilmar Tatto,
Senhor Presidente,
Uma das grandes conquistas obtidas pelos cidadãos brasileiros é a vigência de legislação – nos âmbitos federal, estadual e municipal – que trata da defesa da população idosa, das gestantes e das pessoas com necessidades especiais, e que lhes concede prioridade nas filas, nas salas de espetáculo, no atendimento por instituições públicas, etc.
2. Essa priorização, de uma forma geral, é bem respeitada por todos, principalmente por sofrer uma vigilância direta pelos próprios beneficiários e pelo constrangimento a que pode ser submetido o infrator, nas situações em que é contestado pela prática irregular.
3. Entretanto, quando se trata do uso de vagas de veículos, nas “zonas azuis” destinadas a essa parcela de usuários, por pessoas não credenciadas para tanto, fica mais difícil a cobrança, não só pela dificuldade em localizar o proprietário do carro mas, principalmente pela agressividade com que ele reage, na maioria das vezes, quando cobrado.
4. Esse desrespeito, aqui no Bairro Paraíso, passou a ser procedimento normal, em prejuízo gritante daquelas pessoas realmente necessitadas, e que se vêm impossibilitadas de cumprir suas tarefas e seus compromissos com o conforto, com a segurança e com o direito outorgados em lei.
5. Considerando que cabe ao Município a fiscalização do uso correto do mencionado espaço, e certos que as autoridades responsáveis estão incansavelmente atuando no sentido de defender os direitos daqueles que, pelas próprias condições físicas, mais necessitam dessa proteção, solicitamos de V.Sa. o obséquio de determinar sejam intensificadas e mantidas regulares as vistorias dessas vagas, com a consequente punição dos renitentes.
6. Para facilitar as diligências, informamos que as vagas comumente desrespeitadas estão situadas nas seguintes localidades: Ruas Afonso de Freitas,188 (2 vagas); Rua Cubatão, 269 (2 vagas) e Rua Desembargador Eliseu Guilherme nºs 20, 243 e 350 (6 vagas).”

Divulgaremos nesse espaço a resposta dada pela CET quando a obtivermos. Esperamos que ajude a diminuir o uso indevido dessas vagas.

CAMPANHA DE RECOLHIMENTO DE RESIDUO ELETRONICO

Em parceria com o Gente Urbana e o Instituto GEA, realizamos no final de 2015 uma campanha de recolhimento de resíduo eletrônico no bairro do Paraíso, com a participação de 27 condomínios!

Seguem dados das coperativas que trabalharam conosco caso queiram fazer descartes espontâneos. Queremos realizar outra vez a campanha no final do ano. Fiquem ligados.

– Recifran – bairro da Liberdade – Tel:32094112 – Rua Junqueira Freire, 176

– Coopamare – bairro de Pinheiros – Tel: 30643976 Rua Galeno de Almeida, 659

Seguem algumas fotos da coleta!

Imagem1 Imagem4 Imagem5 Imagem6 Imagem7 Imagem8

 

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA – EDITAL DE CONVOCAÇÃO – 23/11

Tendo em vista a necessidade de inclusão, na pauta, de itens a serem discutidos, fica alterada, para 23.11.2015, a data de realização da Assembleia Geral Ordinária deste exercício, cujo Edital passa a ter a seguinte redação:

Ficam os senhores associados da Associação Viva Paraíso convocados a participar da Assembleia Geral Ordinária, a realizar-se em 23.11.2015, na Rua Abílio Soares, 593, às 19h em primeira chamada, com quorum mínimo de 20% dos associados ou, em segunda chamada, com qualquer número de associados presentes, para deliberar sobre os seguintes assuntos:

  1. Apreciação e aprovação do Balanço Anual e do Relatório de Trabalho relativos ao exercício de 2015;
  2. Alteração do Artigo 18 – e de seu Parágrafo Primeiro – do Estatuto, com a possibilidade de reeleição de todos os membros da Diretoria Executiva e a mudança de denominação de seus cargos;
  3. Eleição da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal; no caso de não haver candidatos, a Assembleia deliberará sobre a extinção da Associação e a destinação do seu patrimônio social;
  4. Apreciação e aprovação do plano de trabalho para o exercício de 2016;
  5. Outros assuntos de interesse dos associados.

São Paulo, 15 outubro de 2015

Fernando R. Medeiros

Presidente

Associação VivaParaíso
contato@vivaparaiso.org.br
www.vivaparaiso.org.br

Blog: www.vivaparaiso.org.br/articles
www.facebook.com/associacaovivaparaiso

CARTA À CET SOBRE INSTALAÇÃO DE CICLOVIA NA RUA DR. RAFAEL DE BARROS

Conforme nossas recentes atas, fomos interrogados sobre a possível instalação de uma ciclovia na Rua Dr. Rafael de Barros. Após várias discussões, resolvemos, conforme atas, entregar à CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) a carta abaixo para mostrar a posição da Associação de que uma ciclovia na Rua Dr. Rafael de Barros, será algo que seguramente acarretará em acidentes dada as características da rua em questão. A entrega foi feita no dia 30/03.

Segue a carta.

À Companhia de Engenharia de Tráfego

Exmo. Senhor Jilmar Tatto,

 Senhor Presidente,

 

Recebemos, de moradores da região, a informação de que há planos para ser criada uma ciclofaixa na Rua Raphael de Barros, em todo o seu percurso.

Não obstante a medida se revista de grande interesse social, já que visa prestigiar o uso da bicicleta, em substituição ao de veículos motorizados, com inúmeras vantagens, gostaríamos de alertar para algumas questões que chamam a atenção da Associação, do comércio local e, principalmente, dos moradores, preocupados com a segurança dos usuários da rua:

  • a via, com tráfego muito intenso, é estreita e possui uma inclinação muito elevada, apresentando cruzamentos perigosos com as Ruas Coronel Oscar Porto e Mario Amaral;
  • há uma linha de ônibus (5106-10 – Largo São Francisco), que circula nessa rua, o que amplia o grau de risco, em razão de fluxo de veículos pesados;

 De fato, a posição da Associação frente a essa possível instalação da ciclofaixa é de enorme preocupação com a possibilidade, quase certeza, da ocorrência de graves acidentes, devido às características da rua, acima mencionadas.

Vale consignar quanto à possibilidade de que outras ruas paralelas e de tráfego menos carregado possam ser consideradas na presumida aplicação da medida.

Assim, pedimos que V.Sa. considere os argumentos ora expostos, no exame da viabilidade da instalação aventada, deixando clara nossa posição de total apoio a esse tipo de ação, no caso de se preservarem, prioritariamente, os níveis de segurança indispensáveis ao trânsito das pessoas.